Partilha, reflexão e discussão sobre as TIC para a Educação Especial

ticEDUCA2012

Aconteceu entre 30 de novembro e 2 de dezembro mais um Congresso Internacional TIC e Educação.

Segundo a organização, “foi pensado sob a égide do movimento das comunidades educativas para a adoção das tecnologias digitais em todos os seus domínios de prática. E ao pensar em tecnologias digitais – desde os dispositivos móveis até às mil e uma aplicações para uma variedade de tarefas – surge como enorme desafio o mundo digital que atualmente a web 2.0 sustenta e o campo de possibilidades que se abre aos educadores e professores. Este movimento, implica uma lógica de colaboração e diálogo entre os educadores e os especialistas das tecnologias digitais articulando esforços e intenções.” Implica também inovação e esta traduz-se inevitavelmente na transformação das práticas educativas com responsabilização, compromisso e uma visão prospetiva sobre o futuro da educação.

Contudo, a escola enquanto instituição, correrá o risco de se encontrar num processo de virtualização enquanto os computadores (ou a tecnologia) servirem apenas para desenvolver o mesmo currículo. A este propósito, Carlos Fino referia as palavras de Seymour Papert a propósito do impacto da tecnologia na escola. Diz Papert que a tecnologia não é capaz de mudar a escola, não a tem mudado nem tem o poder para o fazer, apenas a relação com os ambientes sociais foi já profundamente alterada (in A Máquina das Crianças, 2007). Segundo Fino, a escola é como uma ilha rodeada de inovação, uma vez que possui todos os mecanismos que impedem que esta aconteça no seu seio.

Neste contexto, dizia ainda Roberto Carneiro que os exames nacionais são o maior bloqueio à inovação: “A escola é o lugar onde eu posso ir a qualquer hora do dia, em qualquer dia do ano perguntar o que não sei! Sem autonomia niguém inova (se temos um menú a seguir, como é que inovamos?)”.

Não desistamos porém! Muitos e variados estudos se têm vindo a fazer no âmbito da utilização das tecnologias em contexto educativo e não há dúvida de que os resultados nos mostram que estas fazem indiscutívelmente parte da vida dos nossos alunos, quer nos processos de aprendizagem, quer no estabelecimento das redes sociais/relações, dentro e fora da escola!

Nesse sentido, grupos de investigadores disponibilizam cada vez mais recursos livres acessíveis a um cada vez também maior número de utilizadores com necessidades específicas que requerem produtos diferenciados.

Anúncios

ticEDUCA2010

Decorreu nos dias 19 e 20 deste mês, o I Encontro Internacional TIC e Educação – ticEDUCA2010 com a participação de profissionais portugueses e estrangeiros, da educação e das tecnologias que, em conjunto, refletiram sobre o passado e perspetivaram o futuro. Para os que tiveram a sorte de integrar o número de inscritos, a oportunidade de in loco, ouvir, comentar e questionar os excelentes oradores deste Encontro, constituiu-se certamente como um momento marcante. Aos que, pelas mais variadas razões, não puderam estar presentes, foi-lhes dada a oportunidade de assistir, através de VideoDifusão, a algumas comunicações, debates e conferências. Para esses foi, seguramente, a confirmação de que, tal como diria Graham Attwell, o ensino e a aprendizagem estão muito para além da formalidade das salas de aula.

Atualmente, mais do que nunca, o conhecimento é construído e partilhado cada vez mais em rede e através das redes. Aliás, nas palavras do Professor António Dias de Figueiredo, hoje temos um mundo de abundância (de conhecimento, de informação), automatizado e globalizado e, por isso mesmo, também rico em desafios que passam em grande medida pelo desenvolvimento da criatividade e por reaprendermos a ser seres humanos completos e ambidextros (estimulando com igual importância ambos os hemisférios do cérebro humano).

Seguindo a mesma ordem de ideias e, parafraseando o senhor subdirector da DGIDC, Dr. Pedro Cunha, vivemos na era da conetividade e, nesse contexto, é fundamental a promoção da flexibilidade, da adaptabilidade, da criatividade, da autonomia e do sentido crítico. Foi curiosa a alusão ao software, ao hardware e ao “humanware”, que não é mais do que a importância que a formação dos professores assume.  Aliás, ideia partilhada por outro dos oradores do Simpósio Comemorativo, e que deixou três ideias-chave para o futuro:

1-Formação de professores de ciclo longo, contextualizada e creditada,

2-Internet e não internet e,

3-Cidadania e Profissionalismo.

Finalmente, não poderíamos deixar de referir um marco importantíssimo na história das TIC e da educação em Portugal. 25 anos nos separam do primeiro grande projecto que pretendeu renovar de uma forma inovadora, o sistema educativo português, o Projecto Minerva. O seu mentor foi o Professor António Dias Figueiredo e o seu objetivo foi a introdução das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nas escolas do ensino não superior.  Ao longo deste quarto de século um longo caminho foi percorrido no que toca à integração plena das TIC nas escolas, mas muito há ainda para desbravar, tendo em conta que as tecnologias se superam em espaços de tempo tão curtos e que os nossos alunos as acompanham com tão visível facilidade e entusiasmo. A nossa ESCOLA e o os NOSSOS alunos agradecem!

Aguardaremos ansiosos o tiEDUCA2012! Por agora, para quem quiser rever ou para quem não teve essa oportunidade, aqui fica o sítio onde poderão ver algumas apresentações do Encontro http://www.slideshare.net/ticeduca.

Falar de TIC, ainda que neste contexto, não nos deve fazer pensar apenas e só nos portadores de Necessidades Educativas Especiais. A utilização das TIC está, desde sempre, muito para além desta população. Contudo, o docente responsável pelo grupo tem reconhecidamente um papel preponderante na dinamização, exploração e incentivo para a utilização e presença das TIC, inserindo-as na sua prática pedagógica e no quotidiano dos seus alunos.

O professor inglês Tim Rylands, do primeiro ciclo, tem incentivado a utilização pedagógica das TIC junto dos seus alunos.
Nessa sequência, construiu um site muito criativo – http://www.timrylands.com/index.html e um blog muito interessante – http://www.timrylands.com/blog/.

Poderão ver algum do trabalho com os seus alunos no vídeo disponível no seguinte link:

http://www.youtube.com/watch?v=KcaE5NwfgUA

CRTIC Sintra

O CRTIC Sintra está sediado na EB2,3 Padre Alberto Neto, no Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro. Iniciou funções em setembro de 2008 e dá resposta às solicitações das escolas e agrupamentos dos concelhos de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra (Clique aqui para ver mapa de localização / área de intervenção).

Tal como os restantes CRTIC’s para a Educação Especial do país, o seu principal objetivo é a avaliação dos alunos com Necessidades Educativas Especiais de caráter permanente, a fim de recomendar tecnologias/produtos de apoio, adequando-as às suas necessidades específicas.

Outra vertente importante do trabalho do CRTIC é a informação/formação dos docentes, profissionais de reabilitação e de saúde, famílias e assistentes operacionais, nomeadamente sobre as problemáticas associadas aos diferentes domínios de deficiência ou incapacidade, os produtos de apoio mais adequados e respetiva implementação.

A equipa do Centro de Recursos TIC de Sintra (CRTIC Sintra) é composta por duas docentes especializadas.

Contactos:

CRTIC Sintra
EB2,3 Padre Alberto Neto
Avenida Pedro Nunes 3-3A
2635-317 Rio de Mouro

Tf: 21 916 93 90 (ext: 29) / Tm: 93 259 62 22 / Email: crticsintra@gmail.com 

Sitio: http://sites.google.com/site/crticpan/

 

Equipa CRTIC Sintra:

Cátia Marques ♦  e-mail: catia.crtic@gmail.com

Margarida Loureiro ♦  e-mail: margarida.crtic@gmail.com

Vox4All

Logotipo do programa Vox4All

 

O Vox4all é um sistema de comunicação aumentativa e alternativa para smartphone e tablet (Android, iOS e Windows 8), criado pela Imagina.

Projeto BIA

BIA, Projeto BIA - Sistema de Comunicação Aumentativa e Alternativa

O Projeto BIA foi criado com o propósito de ajudar a Beatriz, uma criança do Concelho de Castro Daire com Paralisia Cerebral que não comunica de forma verbal.

A criação deste programa em formato digital, teve como base o seu caderno de comunicação (em papel), criado pela Terapeuta da Fala. A aplicação é composta por símbolos pictográficos de comunicação coloridos, separados por categoria, que após a sua seleção, reproduz sonoramente a palavra associada ao símbolo. O BIA permite a seleção de vários símbolos convertendo-os numa frase que poderá ser reproduzida ou alterada em qualquer momento. O sistema permite também gerir os símbolos pictográficos (adicionar, editar, apagar) de modo a ser adaptado às necessidades do utilizador final.

Em termos de inovação, o Projeto BIA tem funcionalidades únicas no mundo:

    • Geo-localização – permite enviar as coordenadas GPS do utilizador(criança ou adulto), para um contato definido na aplicação (Android, iPhone e iPad), em caso de emergência ou de desorientação.
    • Envio de Email – permite a comunicação via email após a construção de frases com símbolos, por parte do utilizador. O destinatário recebe a mensagem em texto após uma conversão automática.

Esta aplicação móvel poderá ser aplicada a outros tipos de problemáticas, como o caso da estimulação da fala em crianças com Autismo, idosos que sofreram algum acidente que lhes limita a voz, entre outros. Em termos mais terapêuticos, este projeto poderá ser um excelente auxilio na área da terapia da fala.

Este sistema é totalmente gratuito e está disponível na página do projeto, App Store e Google Play, permitindo, desse modo, o download e instalação em qualquer parte do mundo.

Este software foi totalmente desenvolvido na Câmara Municipal de Castro Daire, sem qualquer custo extra, com o apoio da Rádio Limite na narração dos símbolos, em parceria com a Associação de Paralisia Cerebral de Viseu.

Como começar?

1 – Instalar (caso não o tenha já) no seu computador o programa Adobe AIR.

2 – Registar-se com um email válido na página do Projeto BIA para poder aceder ao download do BIA (canto superior direito da página inicial – Login). Para o novo registo deve definir o nome de Utilizador e uma Password.

LOGIN no canto superior direito da página

Registo

3 – Ativar o registo através do link enviado para o email que indicou.

4 – Voltar à página inicial do Projeto, fazer o Login e de seguida o download da aplicação.

A página disponibiliza vários vídeos que dão suporte a todo o processo de registo, download e utilização do BIA.

Nota final: É possível utilizar o BIA em diferentes sistemas operativos, tais como: Android, Windows (Microsoft), OS X (Apple) e Linux.

Exemplo de um quadro de comunicação criado no BIA

CURSO ONLINE «INCLUSÃO E ACESSO ÀS TECNOLOGIAS»

Encontram-se abertas até dia 30 de março de 2014 as inscrições para o curso online «Inclusão e Acesso às Tecnologias», promovido pela Direção-Geral da Educação em colaboração com o Centro de Recursos TIC para a Educação Especial de Santarém e o Centro de Competência TIC da ESE de Santarém, no âmbito do projeto europeu SENnet.

O curso tem a duração de 10 semanas e decorrerá entre 31 de março e 8 de Junho 2014.

O curso está aberto a qualquer interessado, embora tenha sido concebido para uma comunidade educativa que lida com alunos com necessidades educativas especiais.

As inscrições devem ser feitas na página web – http://inctec2014.blogspot.pt/ e para informação mais detalhada deve consultar a página «Para começar» onde se encontra o guião do curso.

Logotipo SENnet

SENnet – Tornar a aprendizagem acessívelCaptura de ecrã 2014-03-4, às 12.03.06

Captura de ecrã 2014-01-5, às 20.02.10 O Edilim é um editor de livros LIM (Libros Interactivos Multimedia) para a criação de materiais educativos. É uma ferramenta de autor que permite desenvolver atividades para diferentes disciplinas (matemática, português, ciências …) e adaptar o conteúdo para o nível educativo desejado.

Vem com um pequeno programa que não requer instalação, sendo necessário apenas fazer o seu download. Está disponível em vários idiomas, é de distribuição gratuita e pode ser utilizado sem problemas (Licença Creative Commons) desde que se respeite a gratuidade e a autoria.

O seu manuseio é muito simples. A criação das páginas dos livros é baseada no gesto de “arrastar e soltar” com o rato. Em cada livro, podemos criar o número de páginas que quisermos, cada uma com uma atividade, podendo abarcar uma enorme variedade, nomeadamente puzzles, perguntas de escolha múltipla, jogos de memória, visualização de filmes, emparelhamentos… O programa permite exportar em formato “html” para publicar o livro e os alunos podem abri-lo a partir do browser.

O Edilim também permite que sejam avaliados os exercícios. Tem a possibilidade de dar feedback imediato aos alunos e permite ao professor ver o grau de sucesso/dificuldade do aluno. No final de cada atividade, os alunos têm uma mensagem (que foi anteriormente definida na configuração do livro) informando-os se fizeram, ou não, corretamente a atividade. Pode também visualizar-se um relatório do número de tentativas feitas pelo aluno para resolver cada atividade.

A versão mais recente é a Versão 4.1 de novembro 2012 que se encontra disponível para Linux (386 e amd64), Windows e OSX (Mac) e está disponível a partir do endereço  http://www.educalim.com/index.htm  

A Direção Geral de Educação disponibiliza, desde o dia 1 de novembro de 2013, através da Plataforma da Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE), uma área dedicada aos Recursos Educativos Digitais (RED), Software para educação e Aplicações para dispositivos móveis.

Com o objetivo de divulgar recursos específicos à comunidade educativa, bem como de propor o seu uso em contexto educativo, esta plataforma encontra-se organizada por secções, a saber: Interação; Recursos educativos digitais; Repositórios educativos; Licenciamentos abertos; Ativos digitais gratuitos e formas de os encontrar; Criação de recursos educativos digitais; Partilha de recursos; Qualidade de recursos; eBooks.

Na secção de Interação existem dois fóruns: um ligado à criação e partilha de recursos educativos digitais e eBooks, e outro ao uso de recursos educativos digitais e eBooks. Nestes fóruns, os professores poderão colocar as suas dúvidas e ainda partilhar recursos ou outros documentos que considerem pertinentes.

Existe ainda documentação de apoio à análise da qualidade dos recursos educativos digitais, assim como aspetos relativos a licenciamentos – Creative Commons ou outros.
Os recursos e ferramentas a disponibilizar são tendencialmente gratuitos, existindo, no entanto, algumas aplicações pontuais de caráter comercial.

O endereço a partir do qual poderá aceder aos recursos é: http://tinyurl.com/crecursos.

Contudo, para participar nos fóruns, terá de estar inscrito na plataforma Moodle da ERTE:

Imagem da página inicial da plataforma Moodle da ERTE http://moodle.erte.dgidc.min-edu.pt/course/view.php?id=579

JClic é um programa de autor para a criação, realização e avaliação de atividades educativas multimédia, desenvolvidas na plataforma Java. Pode ser executado em Linux, Mac OS X, Windows e Solaris.
O  conteúdo  das  actividades pode ser em texto ou gráfico, podendo  incorporar também sons, animações ou sequências de vídeo digital. As atividades podem ser construídas a pensar em qualquer conteúdo, área temática ou nível de escolaridade, desde o pré-escolar ao ensino superior.

A interface é muito simples e os projetos são construídos com uma determinada sequência que indica a ordem em que irão ser mostradas.

O JClic é composto por três módulos:

Jclic player – o programa independente que, uma vez instalado, permite que as atividades possam ser executadas a partir do disco sem a necessidade de estar ligado à Internet.

JClic author – a ferramenta de criação, que permite a criação, edição e publicação das atividades de uma forma mais simples, mais visual e intuitiva.

JClic reports – compila e organiza os dados (tempo utilizado em cada atividade, tentativas, acertos, etc…), produzindo relatórios sobre os resultados das atividades realizadas pelos alunos.

Podemos criar atividades de raíz, aproveitar atividades criadas por colegas (incluindo a partir da internet) ou adaptar atividades de autores estrangeiros que podem ser abertas no JClic author e modificadas (por vezes apenas é preciso modificar as instruções para o aluno).

Para fazer o download basta aceder à página http://clic.xtec.cat/en/jclic/download.htm. Contudo, caso não consigam fazer correr o programa talvez o motivo seja por não terem o Java instalado, o que poderão fazer a partir daqui. O Java é um programa útil para a execução de atividades tais como jogos, vídeos, etc.

Image

O Microsoft Office PowerPoint é uma ferramenta simples, interessante e versátil e cujas funcionalidades são ainda pouco exploradas. Quer na criação de uma história, uma simples apresentação de conteúdos, ou na criação de atividades dinâmicas no âmbito das dificuldades de aprendizagem, do desenvolvimento da linguagem, vocabulário, competências de comunicação, de cálculo, de autonomia pessoal ou atividades de vida diária, este programa permite a criação e edição de atividades pensadas para um ou para todos os alunos, numa conceção inclusiva, condicionadas ou potenciadas apenas pela capacidade criativa de quem o manipular.
Image
O exemplo que se apresenta refere-se à criação de uma tabela de comunicação para um aluno com limitações ao nível da comunicação sendo que beneficia da utilização de símbolos para expressar as suas necessidades. Neste quadro, foram utilizados símbolos SPC,
voz sintetizada e voz natural.